18.6 C
Itapemirim
sexta-feira 19 julho 2024

PCES conclui investigação da morte do músico Guilherme Rocha e indicia envolvidos – Notícias da Polícia Civil ES

PolíciaPCES conclui investigação da morte do músico Guilherme Rocha e indicia envolvidos - Notícias da Polícia Civil ES


A Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), por meio da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, concluiu o inquérito policial que investigava a morte do músico Guilherme Rocha, que ocorreu no dia 17 de abril, no bairro Jardim Camburi, na cidade de Vitória. O autor dos disparos, um policial militar de 28 anos foi detido em flagrante e agora é réu. O amigo do militar também foi indiciado.

O crime de homicídio ocorreu na madrugada do dia 17 de abril, no bairro Jardim Camburi, em Vitória. Segundo o chefe da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, delegado Marcelo Cavalcanti, o crime se sucedeu após a vítima, Guilherme Rocha, solicitar para um grupo que estava fazendo um evento próximo à residência dele que abaixassem o som, pois estaria gerando barulhos durante a madrugada. A vítima teria feito duas reclamações diretamente com o grupo, porém na terceira solicitação dois homens deram início a uma briga.

Durante a briga, um dos envolvidos deu um empurrão na vítima, o que a fez perder o equilíbrio, sem chance de se defender. No momento de fragilidade da vítima, outro homem envolvido realizou disparos diretamente em Guilherme Rocha, levando-o à morte. O indivíduo também impediu que a esposa da vítima saísse para prestar socorro. Após as investigações, foi possível validar que a vítima já havia feito outras duas reclamações sobre o barulho no mesmo local.

Ainda segundo o delegado Marcelo Cavalcanti, o indivíduo responsável pelos disparos atua como policial militar e, por isso, tinha posse de arma. No momento, ele sacou a arma e verbalizou: “E aí, eu sou policial militar”.

Cavalcanti também ressaltou que o responsável pelos disparos tinha um grupo no WhatsApp para combinar versões da história com os amigos dele, com base em legítima defesa. Nas mensagens do aplicativo, ele ainda escreveu “Se ele queria silêncio, agora está no silêncio eterno”.

Os dois envolvidos no crime serão indiciados pelo crime de homicídio duplamente qualificado. Além disso, o homem que atuava como polícia militar será indiciado por abuso de autoridade.

O responsável pelos disparos foi preso e conduzido para a 1ª Delegacia Regional de Vitória (DPJ). Já o outro envolvido, foi indiciado, mas vai responder em liberdade, como sendo coautor do crime. No momento, havia também um terceiro rapaz, que era participante do grupo, porém esse homem não participou da briga e, com isso, vai responder apenas como testemunha do crime.

Beatriz Paoliello, Estagiária – Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi).

Assessoria de Comunicação Polícia Civil
Comunicação Interna – (27) 3137-9024
imprensa.pc@pc.es.gov.br

Informações à Imprensa:
Olga Samara / Marcelo Rosa
(27) 3636-1536 / (27) 99846-1111 / (27) 3636-1574 / (27) 99297-8693
comunicapces@gmail.com

 



Fonte: Notícias do site da Polícia Civil do Espirito Santo – Confira mais informações em Polícia Civil do Estado do Espírito Santo.

Você está aqui

- Anunciar é Fácil (28) 99999-4664 -

Confira outras Notícias

Navegue pelas tags:

Mais Lidas